Energia renovável mantém crescimento robusto

Mesmo com a crise econômica dos últimos anos, alguns setores da economia conseguiram superar o cenário desfavorável e apresentaram até mesmo expansão da produção. Foi o caso do setor deenergia renovável. Um levantamento da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), mostra que a participação de renováveis na matriz energética brasileira passou de 39,4% em 2014 para 41,2% no ano passado. No caso da oferta de energia eólica, a variação foi de 2% para 3,5% na comparação entre 2014 e 2015; já a de energia solar passou a representar 0,01% da matriz renovável em 2015. “O setor ficou praticamente imune à crise. Toda a economia sofreu o efeito da recessão, mas as gerações eólica e solar conseguiram manter uma atividade robusta. Com a redução da demanda, teve de haver um ajuste nessa situação, mas sem retrocesso, pois já houve um esforço para diversificar a matriz. Assim, aconteceu uma geração de investimentos, mantidos por conta do credenciamento da demanda, que permitiu esse cenário”, explicou o consultor da FGV-Energia, Paulo César Cunha.

www.maxpressnet.com.br